28 de ago de 2009

Muito chão...

E aí personas!! Tudo bão!?

Aiai.. hoje acordei gripado mas renovado. Ontem fui no Bolshoi Pub aqui em Goiânia. Lá pra mim ainda é a melhor casa de Goiânia pra quem não curte sertanejo, pagode e axé e derivados.
Decoração FERA (ainda vou ter na minha casa aquele monte de posters de banda/filmes), som excelente, área para fumantes externa, heineken gelaaaaada (rs), etc... Mas não to aqui pra falar do Bolshoi.

To aqui pra falar do show. Pode até ser que eu esteja fazendo tempestade em copo d'água, mas é que eu precisava disso! :)

Ontem foi um tributo ao Dream Theater, feito pela banda Khallice. Escolheram muito bem o repertório: tocaram na íntegra o álbum Images & Words, que pra mim divide a 1ª posição de melhor álbum do Dream junto com o Scenes From a Memory.

Tocar Dream Theater é uma tarefa árdua. Como as músicas são recheadas de variações, tempos e notas, quando se junta uma banda ao vivo pode ser um desastre ou pode ser FODÁSTICO. No caso da Khallice ficamos com a 2ª opção.

O som estava magnífico (se não me engano foi o melhor som que já escutei no Bolshoi, mais equilibrado, etc) e a musicalidade dos caras estava a 1.000. A banda super entrosada percorreu o álbum sem problemas: com tranqüilidade e segurança, ou seja, sem aquela expressão de estar LUTANDO pra tocar a música corretamente.

Como eu sou meio "maluco" por música, a todo momento vinha aquele calafrio, aquele arrepio diante de algumas partes e lembranças do show de 2005 do Dream Theater (muita saudade!). E eu estava precisando muito disso, sentir esse tipo de coisa, essa coisa do fã, essa sensação de gritar "PUTA QUE O PARIU!" ao ouvir uma linha de baixo, um som de teclado, um groove de bateria, uma levada de guitarra ou a voz do cara atingindo um Fá Sustenido.

Aliás, isso é outra nota a parte. Eu comecei a estudar técnica vocal a pouquíssimo tempo (3 meses) e hoje eu tenho a tremenda mania de ficar reparando como é que as pessoas estão cantando. E eu pirei pro Alírio Netto (vocal). Técnica espetacular, afinação, timbre (lembrava muito o LaBrie em alguns momentos) e muita sustentação. Choquei e mais ainda: me inspirei demais. Muitas vezes qdo agente vê esse tipo de coisa agente fala: "Nossa, q q eu to fazendo querendo cantar? Eu nunca vou ser assim!" Mas ontem não foi o caso. Na minha cabeça só passava "Um dia eu ainda vou conseguir cantar assim."

Ao final tocaram mais 2 músicas do trabalho autoral da Khallice: muito boas. Muita influencia de DT, mas creio que pra um lado mais metal melódico. Enfim, gostei pq a música tem boas variações.

Bom é isso. No fim o que eu achei que ia ser bom foi melhor e voltei pra casa feliz em ter presenciado mais uma noite transbordando de música bem tocada e trabalhada.

Parabéns a Khallice e parabéns ao Bolshoi!

CHEERS!

25 de ago de 2009

Deixa o Sol Brilhar

Deixa o Sol Brilhar
Edu Moraes

Me dê sua mão e vamos correr
Sem parar, até a vista escurecer

Feche os olhos e tente sentir
Não existe nada que vai te ferir

E se o mundo acabar?
Deixa pra lá
E se o ar me faltar?
É só não parar
E se o tempo parar?
É por que tudo está no lugar

Pelo menos essa vez
Pelo menos agora
Deixe a chuva que cai ir embora
Pelo menos essa vez
Pelo menos agora
Deixe o sol brilhar lá fora

Pegue impulso e pule nas minhas costas
Esqueça as perguntas, esqueça as respostas

Desate seus nós e vem sorrir
Abra o peito e deixe a voz sair

E se o mundo acabar?
Deixa pra lá
E se o ar me faltar?
É só não parar
E se você não chegar?
É por que você já pode voar

Pelo menos essa vez
Pelo menos agora
Deixe a chuva que cai ir embora
Pelo menos essa vez
Pelo menos agora
Deixe o sol brilhar lá fora

CHEERS!

18 de ago de 2009

Escrevendo Livremente

Por Reg Connolly

"Escrevendo Livremente" é o fluxo da consciência por escrito. Isto permite que você se torne ainda mais atento ao seu diálogo interno – a subvocalização a que todos nós nos ocupamos durante a maior parte das nossas horas acordadas.

Frequentemente o conteúdo desse diálogo interno pode ser inútil. Por exemplo, nós podemos passar grande parte do nosso tempo nos auto criticando, ou solapando a nossa confiança, ou repudiando as nossas próprias realizações, ou tendo "padrões devia fazer" que podem ter sido relevantes quando éramos crianças mas que hoje não são mais apropriados.

A técnica "Escrevendo Livremente" é uma maneira proveitosa da pessoa se conhecer e de por em dia o que ela subvocaliza. Também é um excelente exercício de limpeza mental para ser realizado ocasionalmente. E pode ser especialmente proveitoso quando você está num período muito estressante, sob pressão ou em pânico.
Abaixo está uma maneira da aplicação da técnica – experimente para descobrir a maneira que funciona melhor para você.

1. Escolha um período do dia em que você consegue ficar sozinho e sem ser perturbado por cerca de 10 a 15 minutos.
2. Tenha à mão um lápis ou caneta e algumas folhas de papel – serve papel de rascunho visto que você mais tarde vai destruir o que escreveu.
3. Agora comece a escrever. E já que começou, continue a escrever sem parar! Não importa se você não consegue se lembrar de alguma coisa para escrever – nesse caso apenas escreva: "Eu não consigo me lembrar de algo para escrever, etc., etc."
4. Você escreve tudo que vem a sua mente – tão rápido quanto puder – sem parar, conforme for acontecendo!
5. Não censure – deixe tudo aparecer no papel – não importa se for incomum, surpreendente ou inaceitável.
6. Você na realidade está transcrevendo o seu próprio diálogo interno. Escreva rápido e furiosamente. Cada simples pensamento. Mesmo os que são irrelevantes na aparência.
7. Pare de escrever depois de fazer isso pelo menos durante dez minutos ou de maneira ideal, quando os pensamentos deixarem de fluir completamente.
8. Agora faça um intervalo de cerca de cinco minutos. Levante-se e caminhe um pouco. Faça algo não relacionado com essa atividade. Você está fazendo isso para mudar o seu ânimo.
9. Agora retorne e leia o que você escreveu. Perceba as questões que surgiram.
10. Agora racionalize sobre essas questões.
11. Quando você tiver terminado, destrua as anotações. Essa é uma etapa muito importante porque destruir as anotações alguns minutos depois de escrevê-las o convence que ninguém, exceto você, irá ler o que escreveu. E isso o convence de que está correto colocar tudo no papel.

Esse método funciona melhor quando é feito regularmente por algumas semanas. É tanto uma maneira de desanuviar a sua mente como de desenvolver a consciência do que você fala para você mesmo dentro da sua cabeça.

O artigo original, em inglês "Writing Freely" encontra-se no site:
http://www.pe2000.com/writing_freely.htm

P.S.: Texto retirado do site Golfinho"

CHEERS!

17 de ago de 2009

Doing What The Devil Says To Do

Doing What The Devil Says To Do
Richie Kotzen

I find it hard, to believe
It took all of my living years for me to see
The most of the things I´ve ever wanted
And most of the things I´ve ever owned, keep me from knowing my
soul

I feel i´m falling into a trial
I´m listening to a lot of people telling me what I could have
And you know, it´s sound so good, when your head is full of
substances and deceive
I don´t wanna be lonely, I need a word
I don´t wanna be hurted the way that I am

And i´m trying to talk to an angel
But I feel like i´m talking to myself
No matter how hard I try to live
Or how much I believe in you, i´ll keep doing what the devil
says to do
i´ll keep doing what the devil says to do

I keep talking to myself and the conversation never seems to
change
You´re a liar, you´re a fool and you think you´re paying dues
saying that you´re hopeless, faithless, but that ain´t true
You´re just living something I can´t find my way out of

And i´m trying to talk to an angel
But I feel like i´m talking to myself
No matter how hard I try to live
Or how much i believe in you, i´ll keep doing what the devil
says to do
i´ll keep doing what the devil says to do

And I listen to my heart, I listen to my soul and i´m doing what
my heart tells me to do
I´ll keep doing what the devil says to do

6 de ago de 2009

Bacana!

Pessoas,

Valeu demais pelos comentários. Muita gente não comentou aqui, mas comentou comigo ou me mando email/mensagem.

Pensei que por um post mais "pessoal", ninguém ia muito comentar algo. Mas me enganei.
Que bom! :)

Valeu mesmo!

Cheers!

5 de ago de 2009

Quem vê cara...

Bom galera estou meio ausente daqui não é? Mas será que alguém acompanha isso aqui? huhu..

Ultimamente tenho pensado em escrever sobre algumas coisas pessoais. Tenho recebido algumas críticas e feito auto-críticas que queria compartilhar. Mas vou pincelar sobre uma que eu as vezes acho engraçado, mas as vezes me incomoda. É quase um mini-desabafo.

Mas pensei em escrever sobre isso porque outro dia encontrei com uma pessoa que me conhece pouco. Até acho que esse foi o primeiro dia que trocamos mais que duas frases. E no meio da conversa a pessoa me solta uma coisa que tenho escutado sempre depois dos meus 18 anos: "Eduardo, você é metido demais, esnobe, estrelinha..."
Logo em seguida perguntei "Mesmo? Você acha? Mas assim, porque você acha isso? O que eu faço pra que você tenha essa opinião?" E a resposta nesse caso foi como em 90% das outras vezes "Sei lá.. você parece, você tem cara..."

Justo eu que passei minha adolescência inteira morrendo de vergonha de sair na rua pq minha cara era um chockito ambulante e todo mundo zuava com a minha cara? Mal tinha coragem de falar com as pessoas. E ainda hoje tenho medo de falar com as pessoas. Mas graças a Deus as espinhas se foram, agora é só mesmo a cara cheia de buraco. Ou como ADORAM falar por aí: areia-mijada.

Bom, eu já não me importo mais um monte de gente pensar isso. Quem me conhece mesmo sabe como eu sou e o mais importante: eu me conheço como eu sou. Mas mesmo assim ainda queria entender direito o que me faz "ter cara de esnobe".

Será que é pq eu tenho alguns umas "nóias" e sempre fico na minha na maioria dos ambientes? Assim.. Eu sou extremamente tímido. Não gosto de invadir ou de me intrometer onde não sou chamado. Tenho essa preocupação constante. Então na maioria das vezes, principalmente quando não conheço as pessoas, eu prefiro ficar na minha. Confesso que não sou de chegar no lugar e sair brincando, conversando, pegando, abraçando, falando que adora, que ama, etc. E não acho nem um, nem o outro certo. Acho apenas que são jeitos diferentes de ser.

Será que é por eu ser reservado? Por não abrir mesmo muito minha vida e ser mais reservado sobre o que falar dela pra todo mundo?

Não sei.. pode ser. Mas daí isso ser metido ou esnobe?
Minha concepção sobre esse termo é diferente e por isso eu fico um pouco chateado as vezes qdo falam isso pra mim. Sempre trato todos com educação, tento sempre deixar os outros a vontade, tratar todo mundo igual, não me intrometer e fico na minha. Justamente pra não correr esse risco e parece que isso acaba fortalecendo esse tipo de pensamento nas pessoas. Pra ajudar isso tudo acabei me tornando vocalista de uma banda. Pronto! Isso já é o bastante pra se tornar metido. Se você é o vocalista, logo você é metido e exibido. O que mais uma vez discordo profundamente (não só em relação a mim).

Mas até aí eu entendo, mas não concordo. Entendo porquê esse tipo de impressão da pessoa, depende de momento (vai q eu tava griladão na hora), depende de estereótipos (como no caso do "ser vocalista"), etc. Também pode ser esse meu jeito mesmo mais “low profile”, essas minhas nóias de achar que está incomodando alguém e ficar na minha ou essa minha timidez/medo excessivos. Não concordo porquê pra emitir um julgamento assim eu preciso conhecer a pessoa melhor. Mas claro.. isso eu, né?

Mas a parte que me incomoda é a parte do por eu ter o estereótipo de metido eu ser “proibido” de algumas coisas. "Proibido" de sentir orgulho/felicidade de algo que agente faz. "Proibido" de se sentir feliz. "Proibido" de receber elogios ou de se fazer elogios a mim mesmo.

Isso realmente me incomoda.

Quando eu falo em “proibido” é que toda vez que algo assim chove gente falando que eu sou esnobe, metido, etc. Se eu acho que eu sou um bom jogador de peteca (o que não é o caso hehe) eu sou 10x mais metido. Porque como já “sou metido” se eu me elogio é assinar embaixo. Aí a pessoa já comenta: "Olha lá.. tá vendo! Não falei q o cara é metidão." Se eu me sinto feliz sempre tem um neguinho “Ih, mas ta metido ein?”

Ah e claro já ouvi várias vezes: "Eu nem gosto de falar isso pra você, pq vc já é todo cheio de si. Mas foi bacana tal atitude sua." Poxa, a pessoa vai te fazer um elogio e antes disso tem que dar uma criticada. Além disso tem gente que não abre pra elogiar, mas só pra te detonar. Sabe aquelas que precisam te diminuir sempre perante as outras? (assunto pra outro post).

Meses atrás eu ouvi que eu era metido porquê quando acabou um show eu fiquei sorrindo demais pras pessoas. Ri muito depois disso também.. hehe

Se eu comentar então de relação homem x mulher aí lascou! Você não se interessar por alguém que te “deu moral” é um PECADO! É o atestado de metidez. Pra ser humilde tem que dar moral pra todo mundo e, pra ser o Sr. Humildade, tem que pegar todas.

Sei lá. Acho estranho. Muitas vezes sinto falta de poder fazer, falar, receber cumprimentos e elogios, etc sem despertar esse tipo de julgamento o que acaba me podando várias e várias vezes.

No fim tudo isso deve ser uma bobagem. Eu tenho mesmo que aprender a aceitar melhor tudo isso e deixar pra lá esse tipo de coisa.

Enquanto isso, vou desabafando aos poucos. =)

Cheers!