11 de dez de 2012

E se realmente gostarem?

“E se realmente gostarem? Se o toque do outro de repente for bom? Bom, a palavra é essa. Se o outro for bom para você. Se te der vontade de viver. Se o cheiro do suor do outro também for bom. Se todos os cheiros do corpo do outro forem bons. O pé, no fim do dia. A boca, de manhã cedo. Bons, normais, comuns. Coisa de gente. Cheiros íntimos, secretos. Ninguém mais saberia deles se não enfiasse o nariz lá dentro, a língua lá dentro, bem dentro, no fundo das carnes, no meio dos cheiros. E se tudo isso que você acha nojento for exatamente o que chamam de amor? Quando você chega no mais íntimo, No tão íntimo, mas tão íntimo que de repente a palavra nojo não tem mais sentido. Você também tem cheiros. As pessoas têm cheiros, é natural. Os animais cheiram uns aos outros. No rabo. O que é que você queria? Rendas brancas imaculadas? Será que amor não começa quando nojo, higiene ou qualquer outra dessas palavrinhas, desculpe, você vai rir, qualquer uma dessas palavrinhas burguesas e cristãs não tiver mais nenhum sentido? Se tudo isso, se tocar no outro, se não só tolerar e aceitar a merda do outro, mas não dar importância a ela ou até gostar, porque de repente você até pode gostar, sem que isso seja necessariamente uma perversão, se tudo isso for o que chamam de amor. Amor no sentido de intimidade, de conhecimento muito, muito fundo. Da pobreza e também da nobreza do corpo do outro. Do teu próprio corpo que é igual, talvez tragicamente igual. O amor só acontece quando uma pessoa aceita que também é bicho. Se amor for a coragem de ser bicho. Se amor for a coragem da própria merda. E depois, um instante mais tarde, isso nem sequer será coragem nenhuma, porque deixou de ter importância. O que vale é ter conhecido o corpo de outra pessoa tão intimamente como você só conhece o seu próprio corpo. Porque então você se ama também.” 
(C.F.A.)

Copiado de Lian Tai
CHEERS!

20 de nov de 2012

A viagem do Pardalzinho

Era uma vez um pardalzinho que odiava ter de voar para o sul por causa do inverno. Ficava tão apavorado com a idéia de deixar seu lar que decidiu adiar a viagem até o último momento possível.

Depois de se despedir carinhosamente de todos os seus amigos pardais que partiram, voltou ao seu ninho e ficou ainda por mais quatro semanas.

Finalmente o tempo se tornou tão desesperadamente frio, que ele não pode adiar mais. Quando o pardalzinho partiu e iniciou seu voo para o sul, começou a chover.

Rapidamente, o gelo se formou sobre suas asinhas. Quase morto de frio e exausto, foi perdendo altura e caiu por terra em um pátio de estrebaria. Quando estava exalando o que pensava ser seu último suspiro, um cavalo saiu da estrebaria e, virando o traseiro em sua direcão, recobriu o pardalzinho de merda.

A principio, o pardalzinho não podia pensar em outra coisa, a não ser que aquele era um modo horrível de morrer, "Todo cagado!" Porém, quando a merda começou a subir e penetrar em suas penas, aquela passou a aquecê-lo e a vida recomeçou a voltar a seu corpo. Ele descobriu também que tinha espaço para respirar.

Subitamente o pardalzinho sentiu-se tão feliz, que começou a cantar. Naquele momento um grande gato entrou na estrebaria e, ouvindo o gorgeio do pássaro, começou a remexer o monte de merda, para descobrir de onde vinha o som. O gato, finalmente, descobriu a ave. E a comeu.

Esta historia contém quatro ensinamentos morais:
1) "Nem sempre, aquele que caga em você é seu inimigo." 
2) "Nem sempre, aquele que te tira da merda é seu amigo." 
3) "Desde que você se sinta quente e confortável, mesmo que seja num monte de merda, conserve o bico calado." 
4) "Quem esta na merda não canta!!"  

CHEERS!

8 de mar de 2012

Webclipe de Último Vestígio

EXPLOIDIU GALERA! Terceiro Webclipe da série "Pop.Rock.Fun" - Último Vestígio na veia! Curta, compartilhe e bora pra ferver!

25 de jan de 2012

Erros...

Hoje estava assistindo o filme "Faces da Verdade" (muito bom por sinal) e uma passagens me chamou a atenção.

Um advogado disse ao promotor:
- Você está cometendo um erro!
E o promotor, cheio de si, respondeu:
- E daí? A gente aprende com os erros.
O advogado então deu lhe o golpe:
- Algumas vezes um erro é somente usar uma roupa inadequada, enquanto algumas vezes o erro é invadir a Rússia no Inverno!


Achei brilhante a observação!

E vocês?

CHEERS

24 de jan de 2012

Inacabado...

Como é ruim ter a sensação que você deixou algo inacabado pra trás, não?

É... muito ruim. Sempre eu tenho aquela máxima que eu tenho que tentar de tudo que esteja ao meu alcance, sabe? Tento, invento, reinvento... mas uma hora é claro que, se não dá certo, é hora de largar e deixar pra lá.

E aí a consciência fica tranquila, em paz.

Mas e quando você toma a decisão errada? E quando você decide largar pra lá por mera imaturidade, por mero "luxo"? Quando não se tenta tudo o que se pode.

Tantos anos passados e, mesmo assim, volta e meia essa sensação vem me assombrar novamente. Falo assombrar não por ser ruim, não.. Muito pelo contrário. Até por que as lembranças são as melhores que eu tenho. Digo pelo motivo de não ter o que fazer. De não ter como ser reparado. A vida já encaminhou em direções opostas.

Difícil. Ainda mais em dias como hoje...

Mas assim continua... cada dia na esperança de que algo me leve a "um lugar" onde eu possa apenas lembrar dos momentos e não do meu erro.

Mais uma vez, ainda não foi dessa vez...

CHEERS

Há algo..

Sim... há algo.
Algo que quer explodir.
Algo que não suporta mais os limites físicos da minha mente, corpo e coração.
Algo que quer ser maior.
Algo que deseja ser entregue.
Algo que suplica por luz e ar.
Algo que precisa de mais um.
Algo que merece ser compartilhado com alguém.
Mas quem?

CHEERS

22 de jan de 2012

Regression

"Close your eyes and begin to relax. Take a deep breath, andlet
it out slowly. Concentrate on your breathing. With each breath
you become more relaxed. Imagine a brilliant white light above
you, focusing on this light as it flows through your body.Allow
yourself to drift off as you fall deeper and deeper into a more
relaxed state of mind. Now as I count backward from ten to one,
you will feel more peaceful, and calm. Ten. Nine. Eight. Seven.
Six. You will enter a safe place where nothing can harm you.
Five. Four. Three. Two. If at any time you need to come back,all
you must do is open your eyes. One."

17 de jan de 2012

Todos, alguém, qualquer um e ninguém.

Esta é uma história de quatro pessoas:

Havia um trabalho importante a ser feito e todos tinham certeza de que ALGUÉM o faria.
QUALQUER UM poderia tê-lo feito, mas NINGUÉM o fêz.

ALGUÉM zangou-se porque era um trabalho de TODOS.

TODO MUNDO pensou que QUALQUER UM poderia fazê-lo, mas NINGUÉM imaginou que TODO MUNDO deixasse de fazê-lo.

Ao final, TODOS culparam ALGUÉM quando NINGUÉM fez o que QUALQUER UM poderia ter feito.

JUSTO! Acústico

Moçada,

Nós da JUSTO! fizemos algumas versões acústicas das músicas do nosso CD. Eu achei que ficou MUITO maneiro! Vejam aí se vocês gostam:

Bônus Acústico by bandajusto

\o/

Último Vestígio - Webclipe

Bom dia moçada!!!

Como estão vocês? Hoje estou aqui pra mostrar pra vocês o último webclipe da banda JUSTO!
É da versão acústica de Último Vestígio!!!

Confira, comente e compartilhe!



CHEERS!